Balada do Louco

Arnaldo

Noite de 31 de dezembro de 1982. Arnaldo estava internado desde 27 de dezembro para um tratamento de desintoxicação. Algumas coisas formavam um caldo um tanto explosivo: ele estava aflito com a idéia de passar o reveillon nestas condições, e pra piorar era aniversário de Rita Lee, sua ex-mulher, que ao que tudo indica, foi o grande amor de sua vida. Soma-se a isso uma daquelas graves crises de abstinência. Resultado: Arnaldo Baptista, considerado o cérebro dos Mutantes, pulou do terceiro andar da clínica, passando muito perto da morte. Quebrou sete costelas, feriu seriamente as cordas vocais, sofreu um edema cerebral e uma lesão pulmonar, ficando com o lado esquerdo paralisado. Quando acordou do coma, dois meses depois, só falava em inglês.Mutantes

Foi muito frustrante quando, numa noite qualquer de 1992/93 (dez anos depois), eu assisti a uma jam session no Circo Voador em que estava presente Arnaldo Baptista, com todas as seqüelas ainda muito evidentes, sofrendo o deboche e o descaso do público e até mesmo de alguns artistas que estavam no palco. Fiquei realmente arrasado ao ver um ídolo naquele estado, sendo tratado daquela maneira.

No último sábado, 3 de fevereiro, fui presenteado com uma apresentação primorosa do lendário grupo tropicalista. Que o show seria espetacular eu não tinha dúvida. Me emocionou particularmente o tratamento carinhoso dado pelo público ao Arnaldo: foi reverenciado como merece. Outrora tratado apenas como maluco, agora pôde colher os frutos de sua própria superação.

É como diz na letra de sua composição, autobiográfica e premonitória: “Sim, sou muito louco / Não vou me curar / Já não sou o único / que encontrou a paz / Mas louco é quem me diz / e não é feliz / eu sou feliz”


Anúncios
Published in: on fevereiro 8, 2007 at 7:11 pm  Comments (5)  

The URI to TrackBack this entry is: https://maturana.wordpress.com/2007/02/08/balada-do-louco/trackback/

RSS feed for comments on this post.

5 ComentáriosDeixe um comentário

  1. Então, não sou normal também.
    Acho que não. 🙂

  2. Ihh, mas, o Caetano já propagou que de perto ninguém é normal mesmo !!!!! Q bom !!! Roberta já me disse que eu perdi esse show ! Putz !! Bj, Vivi.

  3. Realmente foi fantástica a forma como o público acolheu Arnaldo.
    O Show (com letra maiúscula) foi demais!

  4. Ele superou, mas tá doidinho, parecia uma criança descobrindo o mundo gigantesco a explorar. Não parava de pular de alegria. Muito maneiro.

  5. Impressionante essa história do Arnaldo, ainda mais vendo ele feliz e tirando sarro com a própria situação… Ontem o show no circo foi lindo demais… de alguma forma o Circo se redimiu.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: